top of page
  • Foto do escritorMARIANA VIEIRA

Doença mão-pé-boca: o que é, sintomas e como evitar?

Essa síndrome altamente contagiosa, normalmente acomete crianças até os 5 anos de idade, entretanto, também pode atingir a idade adulta.


 

Por Mariana Vieira

Fonte da imagem: Wikipédia


O que é?

Conhecida como síndrome mão-pé-boca, essa doença é uma enfermidade altamente contagiosa, causada pelo vírus Coxsackie, da família do enterovírus. O nome da doença se dá, devido à formação de vesículas (bolhas) nas regiões da mão, pé e boca.


Sintomas mais comuns:

  • Febre alta, prostração e fraqueza muscular nos dias que antecedem o surgimento das lesões;

  • Aparecimento de vesículas (bolhas) na boca, amídalas e faringe, de manchas vermelhas com vesículas branco-acinzentadas no centro que podem evoluir para ulcerações muito dolorosas;

  • Erupção de pequenas bolhas em geral nas palmas das mãos e nas plantas dos pés, mas que pode ocorrer também nas nádegas e na região genital;

  • Mal-estar, falta de apetite, vômitos e diarreia;

  • Dificuldade para engolir e muita salivação;

Segundo autora Jorge (2019) as bolhas tendem a persistir de 7 a 10 dias, causando dificuldade na alimentação e ingestão de líquidos e consequentemente, levando a uma possível desidratação.

Como ocorre a transmissão dessa doença?

O vírus pode ser transmitido diretamente de pessoa para pessoa, pela via fecal-oral, oral-oral ou em contato com gotículas de saliva. A transmissão indireta por contato com superfícies ou objetos contaminados também pode ocorrer, uma vez que os enterovirus continuam viáveis mesmo em temperatura ambiente.


Atenção: A pessoa contaminada pode transmitir o vírus pelas fezes durante aproximadamente quatro semanas.

Formas de prevenção:

  • Cuidadores e funcionários de creches e escolas devem ficar atentos com as medidas de higiene pessoal, pois a excreção viral pode ocorrer nas fezes durante semanas;

  • Não expor crianças menores de 5 anos em aglomerações públicas em épocas de surto;

  • Para mulheres que amamentam, o recomendado é que utilizem máscaras e higienizem mãos e os mamilos na hora da amamentação.

  • Realizar lavagem das mãos antes de comer, inclusive incentivar o hábito entre os pequenos.

  • Realizar limpeza do ambiente com álcool 70% e em casos de sujidade, realizar a limpeza com solução de cloro com alta concentração;

  • Descartar adequadamente as fraldas e os lenços de limpeza em latas de lixo fechadas.

  • Não compartilhar mamadeiras, talheres ou copos;

  • Cobrir a boca e o nariz ao espirrar e educar aos pequenos para realizar também.


Existe tratamento específico para essa doença?

Não. O tratamento é direcionado para aliviar os desconfortos dos sintomas com analgésicos, antitérmicos e hidratação. (JORGES, 2019) O ideal é que o paciente permaneça em repouso, tome bastante líquido e alimente-se bem, apesar da dor de garganta (BVS, 2018).


Após diagnosticada pelo médico, é importante que o paciente não entre em contato com outras crianças até o desaparecimento dos sintomas ou aproximadamente 7 dias.


Se você gostou do conteúdo, compartilhe o link nas suas redes sociais e venha fazer parte do time de mulheres bem informadas.




Referências:

Biblioteca Virtual em Saúde. Doença mão-pé-boca. Ministério da saúde. 2018. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/doenca-mao-pe-boca/#:~:text=A%20doen%C3%A7a%20m%C3%A3o%2Dp%C3%A9%2Dboca,afeta%20a%20mucosa%20da%20boca).


JORGE, Adriana Maria Vieira. Doença de mão-pé-boca por enterovírus: revisão da literatura. 2019. Disponível em: https://docs.bvsalud.org/biblioref/2020/12/1140405/programa-7-adriana-maria-vieira-jorge.pdf



29 visualizações

Comments


bottom of page